quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Maxillaria luteoalba


 

 
Apesar da primeira floração desta Maxillaria luteoalba ter apenas uma só flor, estou muito satisfeito. A sua beleza ultrapassa as minhas expetativas, tanto nas cores extraordinárias como nos imensos detalhas das suas formas e texturas. Este género é sempre surpreendente e variado, sendo para os aficionados como eu um desafio constante.
As suas flores são perfumadas, com um aroma suave mas muito agradável, de longa duração e podem apresentar alguma variabilidade na cor.
 
Família: Orchidaceae         Género: Maxillaria         Espécie: luteoalba
 
Habitat natural: Espécie epífita, de porte elevado, originária das florestas húmidas de baixa a média altitude, entre os 100 e os 1800 metros. Pode ser observada, no seu estado natural, numa vasta área da América Central e América do Sul, em países como a Costa Rica, o Panamá, o Peru, a Colômbia, a Venezuela e o Equador.
 
Cultivo: Quando adulta, como é uma espécie de grande porte, necessita de vaso médio a grande (15 cm ou mais). Sendo uma espécie de raízes finas, está num substrato de  pequena a média granulometria (cerca de 1 a 2 cm), com uma mistura à base de casca de pinheiro, cortiça, pedaços de fibra de coco, argila expandida e perlite.
Necessita de ambiente com elevado grau de humidade, temperaturas intermédias, boa ventilação e sombreado, não podendo apanhar sol direto.
Regar o necessário para manter o substrato sempre húmido todo o ano, não podendo nunca estar encharcado. As fertilizações devem ser regulares durante as estações mais quentes do ano, suspendendo-as a partir de meados do Outono até final do Inverno. Como utilizo o adubo Akerne Rain Mix, aplico, em média, duas fertilizações por semana, sempre com doses de média concentração (metade da dose indicada pelo fornecedor).

https://www.facebook.com/americo.pereira.39904

Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

6 comentários: