terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Cymbidium banaense





O Cymbidium banaense tem algumas semelhanças aparentes com o Cymbidium eburneum, sobretudo para os olhares menos atentos. Contudo, o Cymbidium banaense apresenta quase sempre três flores por haste, com tons muito levemente rosados, assim como diferenças na forma das pétalas e das sépalas. Possui também um perfume intenso, de caráter adocicado.

Família: Orchidaceae         Género: Cymbidium        Espécie: banaense

Habitat natural: Esta é uma espécie epífita, nativa de habitas montanhosos, à volta dos 1400 metros de altitude, do Vietname.

Cultivo: É cultivado na estufa fria, em local bem ventilado, com elevado grau de humidade e ligeiramente sombreado.
Utilizo um vaso alto e estreito e substrato composto por uma mistura para epífitas, à base de casca de pinheiro média (70 a 80%) e argila expandida (20 a 30%).
Rego de forma a manter o substrato sempre húmido, sendo as regas mais frequentes e abundantes nas estações mais quentes e secas.
Fertilizo com o Akerne Rain Mix, duas vezes por semana, suspendendo as aplicações durante todo o Inverno.


Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Cymbidium qiubeiense





O Cymbidium qiubeiense é uma das espécies deste género mais peculiares, tanto no que toca às suas inflorescências, como à sua parte foliar. É também uma das mais raras em cultivo, sendo bastante difícil de encontrar no mercado legal.

Esta espécie é nativa das províncias chinesas de Yunnan e de Guangxi, habitando florestas de solos calcários, entre os 700 e os 1800 metros de altitude.

É uma planta que suporta temperaturas relativamente frias, devendo ser cultivada nas mesmas condições da maioria dos Cymbidium, em vaso estreito e alto, com substrato de fina e média granulometria, composto por casca de pinheiro, argila expandida, perlite e alguma rocha vulcânica.


Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Masdevallia davisii




A Masdevallia davisii é uma das espécies, deste tão vasto género, que suporta temperaturas mais baixas, podendo mesmo ir até cerca de zeros graus de mínima. As suas flores, de um bonito amarelo nas sépalas e pétalas, em contrate com o avermelhado do labelo, dispõem-se bem acima das folhas e são levemente perfumadas.

Família: Orchidaceae          Género: Masdevallia        Espécie: davisii

Habitat natural: Esta é uma planta de pequeno a médio porte, originária do Peru. Aí se desenvolve como espécie terrestre ou litófila, nos afloramentos rochosos, nas florestas sombrias e húmidas, em altitudes muito elevadas e que podem oscilar entre os 2600 e os 4000 metros.

Cultivo: Tal como a generalidade das Masdevallia que cultivo, esta está na estufa fria, no local mais fresco, húmido e sombrio. Requer também um boa ventilação. No Verão devemos evitar que as temperaturas ultrapassem os 28 graus.
Utilizo um vaso pequeno (8 cm), com substrato composto por casca de pinheiro fina e média, argila expandida e perlite. Opcionalmente pode também adicionar-se algum esfagno.
Regar com frequência nas estações mais quentes e secas e mais moderadamente no Inverno. O substrato deve manter-se sempre húmido, sem encharcar. Sempre que este apresente sinais de degradação deverá ser substituído por um novo .
Fertilizo com Akerne Rain Mix, duas a três vezes por semana, aplicando apenas metade da dose indicada pelo fornecedor. Suspendo as fertilizações no Inverno. Como as espécies deste género não têm período de repouso, poderão, opcionalmente, ser fertilizadas durante o Inverno também.


Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Paphiopedilum gratrixianum




O Paphiopedilum gratrixianum é uma das espécies, deste magnífico género, mais difundidas e cultivadas por orquidófilos de todo o mundo. É uma planta de pequeno porte e as suas flores apresentam uma variabilidade considerável no que toca a cores e padrões. Tem sido também, ao longo dos anos, muito utilizada na criação de diversos híbridos, alguns premiados internacionalmente.

Família: Orchidaceae        Género: Paphiopedilum       Espécie: gratrixianum

Habitat natural: Desenvolve-se como planta terrestre ou litófila, tanto no meios das folhas em decomposição, como nas paredes dos penhascos de granito, nas florestas nebulosas, húmidas e sombrias, situadas em planaltos entre os 900 e os 1300 metros de altitude. Os seus habitats distribuem-se pelo Sudeste do Laos e pelo Norte do Vietname.

Cultivo: Esta minha planta está na estufa temperada quente, mas poderá também ser cultivada em estufa fria com sucesso. Aprecia um ambiente bem sombreado e com elevado grau de humidade.
O substrato é composto apenas por casca de pinheiro média, argila expandida e alguma perlite.
Deve regar-se as vezes necessárias a manter o substrato sempre húmido, adequando a periodicidade às condições climatéricas.
Utilizo o fertilizante Akerne Rain Mix, em doses de baixa concentração, aplicando duas a três vezes por semana. Por opção, deixo de fertilizar durante o Inverno. Contudo, pode também ser aplicado ao longo de todo o ano, dado que esta espécie não apresenta qualquer período de repouso.

Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Epidendrum hugomedinae




Para acabar o ano em beleza, aqui fica uma das mais belas espécies do género Epidendrum, que floresce na minha estufa pela segunda vez em 2016. Trata-se duma espécie de pequeno porte, com flores que não ultrapassam 1 cm, levemente perfumadas e agrupadas em inflorescências pendentes de bonito efeito. 

O Epidendrum hugomedinae é originário do Sudeste do Equador, onde se desenvolve como planta epífita, em altitudes à volta dos 1600 metros.

É uma orquídea ideal para climas frios. A minha está cultivada na estufa fria, em local ligeiramente sombreado, bem ventilado e com boa humidade. Utilizo um vaso pequeno com uma mistura para epífitas ( casca de pinheiro média, argila expandida e perlite).
Rego apenas o necessário para a manter o substrato ligeiramente húmido, o ano todo, fertilizando só nas estações mais quentes do ano (Primavera, Verão e primeira metade do Outono).

Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Masdevallia andreettaeana




A Masdevallia andreettaeana é, segundo a minha opinião, uma das mais delicadas e belas espécies deste tão vasto género. É uma planta miniatura, com flores de tamanho considerável, de textura aveludada e com exóticas e belíssimas formas.

Família: Orchidaceae         Género: Masdevallia        Espécie: andreettaeana

Habitat natural: Esta é uma espécie que se desenvolve de forma epífita, proveniente do Sul Equador e do Norte do Peru, de florestas sombrias e nebulosas, cujas altitudes podem oscilar entre os 1600 e os 2100 metros de altitude.

Cultivo: Sendo uma espécie de altitude, necessita de um local fresco e bem sombreado, bem ventilado e com elevado grau de humidade.
Está cultivada num vaso pequeno (cerca de 8 cm de diâmetro), em substrato para epífitas, composto por casca de pinheiro média e fina, argila expandida e perlite.
Rego de forma a manter o substrato sempre húmido. Quando este apresentar indícios de degradação (permanecer demasiado compacto e encharcado) deve proceder-se à substituição do mesmo.
Fertilizo com Akerne Rain Mix, duas a três vezes por semana, com metade ou menos de metade da dose indicada pelo fornecedor. É preferível aumentar ao número aplicações e reduzir, substancialmente, à dose por cada litro de água.

https://www.facebook.com/americo.pereira.39904

Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016