segunda-feira, 13 de maio de 2019

Dendrobium trigonopus

O Dendrobium trigonopus é uma planta de pequeno porte, nativa da Birmânia, Tailândia, China, Laos e Vietname. No seu habitat natural, desenvolve-se como planta epífita, sobre os troncos das árvores, em florestas cujas altitudes se situam entre os 300 e os 1500 metros. as suas inflorescências são curtas, geralmente compostas por 1 a 4 flores por haste, possuindo flores com cerca de 4 a 5 cm, cerosas, de longa duração e bem perfumadas.
É uma espécie a cultivar em ambientes temperados, de preferência montadas, com boa luminosidade  e elevado teor de humidade relativa. Para florescer, é importante um período de repouso durante o Inverno, com muito poucas regas e sem fertilizações, retomando estas no final do Inverno.




Referências bibliográficas:

http://orchidspecies.com/dentrigonopus.htm

sexta-feira, 10 de maio de 2019

Phalaenopsis philippinensis

A Phalaenopsis philippinensis é uma espécie endémica das Filipinas, proveniente de zonas montanhosas, até aos 1200 metros de altitude, onde se desenvolve como planta epífita.
É uma planta de pequeno porte, com belas folhas marmoreadas, compostas por manchas verde escuro e prateadas. As inflorescências surgem a partir das axilas da planta, semi-pendentes, sendo compostas por diversas flores de grande porte (cerca de 7cm), de tons predominantemente brancos.
É uma das espécies do género Phalaenopsis que suporta temperaturas um pouco mais baixas do que maioria neste grupo (podendo estas descer até aos 8 a 10 graus durante anoite), sendo ideal para cultivar em ambientes temperados, com muita humidade e com luz intermédia. 
Embora a minha planta esteja em vaso, é uma espécie ideal para ser cultivada montada num pequeno tronco de madeira ou de cortiça, devido às suas longas raízes, ligeiramente achatadas. 
As regas dever ser adequadas ao tipo de cultivo, sendo mais frequentes quando cultivada montada e mais espaçadas quando cultivada em vaso. As fertilizações podem ser aplicadas durante todo o ano, embora menos frequentes durante o Inverno.




Referências bibliográficas: 

http://orchidspecies.com/phalphilippinense.htm

https://wcsp.science.kew.org/qsearch.do

https://www.facebook.com/americo.pereira.39904

segunda-feira, 29 de abril de 2019

Masdevallia caesia

A Masdevallia caesia é uma espécie de pequeno porte que de desenvolve de forma pendente, com folhas apicais, eretas e coriáceas, estreitamente obovadas, finas na base, de cor verde escura e impregnadas de tons púrpura/azulados. As inflorescências solitárias surgem a partir da base das folhas e possuem um odor desagradável.

Família: Orchidaceae      Género: Masdevallia      Espécie: caesia

Habitat natural: É uma planta epífita que pode ser observada, no seu habitat natural, no Sudoeste da Colômbia, em florestas densas e nubladas, situadas em altitudes entre 1600 e os 2200 metros.





Cultivo: É cultivada todo o ano na estufa fria (com mínimas a rondar os zero graus), em local fresco, bem sombreado e com elevado teor de humidade relativa. Está montada numa pequena placa de madeira, de forma pendente e suspensa.
Rego quase diariamente durante as estações mais quentes e secas do ano e algo mais espaçadamente durante o Inverno. Não é conveniente secar muito entre cada uma das regas.
Fertilizo uma a duas vezes por semana, sempre com doses pouco concentradas, diluindo apenas cerca de um terço da dose indicada pelo fornecedor, em cada litro de água. Durante o Inverno deixo de fertilizar.

Referências bibliográficas:

http://orchidspecies.com/mascaesia.htm

https://wcsp.science.kew.org/qsearch.do

https://www.facebook.com/americo.pereira.39904

quarta-feira, 24 de abril de 2019

Cattleya mossiae v. coerulea

A Cattleya mossiae v. coerulea é uma bela variedade desta espécie de médio porte, pertencente ao  grupo das unifoliadas, com pseudobulbos cilíndricos e ligeiramente achatados, com uma única folha apical, oblonga, ereta, coriácea e de cor verde acinzentada. As suas inflorescências surgem durante a primavera, sendo compostas por 2 a 5 flores de grandes dimensões e ricamente perfumadas. 

Família: Orchidaceae   Género: Cattleya   Espécie: lmossiae  v. coerulea

Habitat natural: Esta é mais uma espécie do género Cattleya endémica da Venezuela, proveniente de habitats entre os 900 e os 1500 metros de altitude, desenvolvendo-se nas copas das árvores, como planta epífita, em florestas densas e húmidas.




Cultivo: É cultivada montada num tronco de madeira (vinha), na estufa temperada/quente, onde as temperaturas mínimas nunca descem abaixo dos 12 a 14 graus. O ambiente de cultivo é ligeiramente sombreado, mas sempre com excelente luminosidade, bem ventilado e com elevado teor de humidade relativa do ar.
Rego abundantemente e frequentemente nas estações mais quentes e secas do ano e mais espaçadamente quando o tempo está frio e chuvoso. Durante o Inverno rego apenas para não deixar desidratar a planta (uma vez por semana ou menos ainda).
Fertilizo duas a três vezes por semana, com o Akerne Rain Mix, sempre com doses de baixa concentração (metade da dose indicada pelo fornecedor para cada litro de água). Durante a segunda metade do Outono e durante a maior parte do Inverno suspendo as fertilizações.

Referências bibliográficas:

http://orchidspecies.com/cattleuddemannia.htm

https://www.facebook.com/americo.pereira.39904

quarta-feira, 17 de abril de 2019

Cattleya mossiae

A Cattleya mossiae é uma espécie de médio porte, pertencente ao grupo das unifoliadas, sendo endémica da Venezuela. É proveniente de habitats cujas altitudes se situam entre os 900 e os 1500 metros, onde se desenvolve como planta epífita, no cimo das árvores, em florestas densas.
Possui pseudobulbos fusiformes, sulcados e verdes, com uma única folha apical, ovalada-oblonga. As suas inflorescências surgem na Primavera, geralmente com 2 a 7 flores cada uma, sendo estas fortemente perfumadas.
A Cattleya mossiae é considerada a flor nacional da Venezuela, o que deixa revelar a importância da sua peculiar beleza, sendo também uma das mais apreciadas pelos orquidófilos em geral.




É cultivada num cesto suspenso, com um substrato composto por casca de pinheiro grossa (60 a 70%) e argila expandida (30 a 40%).
Está todo o ano na estufa temperada (temperaturas entre os 12 e os 32 graus), em ambiente ligeiramente sombreado, mas com boa luminosidade, sendo este bem ventilado e com elevado teor de humidade relativa do ar.
Rego apenas o necessário para manter o substrato ligeiramente húmido, deixando-o secar bem entre regas. Fertilizo duas a três vezes por semana com o Akerene Rain Mix, sempre com doses de baixa concentração (apenas metade da dose indicada pelo fornecedor para cada litro de água). Durante o Inverno deixo de aplicar fertilizações e reduzo drasticamente o número de regas.

Referências bibliográficas:

http://orchidspecies.com/cattlmossiae.htm

https://wcsp.science.kew.org/namedetail.do?name_id=36040

terça-feira, 9 de abril de 2019

Dendrobium polyanthum

O Dendrobium polyanthum é uma planta de médio porte, de pseudobulbos pendentes, longos e cilíndricos, com diversas folhas oblongo lanceoladas, que caem logo após a maturação dos mesmos. As suas inflorescências são curtas, de flores solitárias, surgindo nos diversos entre-nós dos pseudobulbos já sem folhas. Estas flores são delicadamente perfumadas.

Família: Orchidaceae        Género: Dendrobium         Espécie: polyanthum

Habitat natural: Esta é uma espécie epífita, que se desenvolve sobre as árvores, em florestas abertas e em habitats de montanha, entre os 700 e os 1800 metros de altitude. É nativa da China (Himalaias), da Índia (Assam e Himalaias), do Nepal, das Ilhas Andaman, da Birmânia, da Tailândia, do Laos e do Vietname.









Cultivo: É cultivada montada sobre uma pequena placa de cortiça. Está todo o ano nas estufa temperada, em ambiente bem ventilado, com elevado teor de humidade relativa do ar e ligeiramente sombreado, embora com boa luminosidade.
Rego frequentemente desde o aparecimento dos novos pseudobulbos até à sua completa maturação. Durante o Inverno respeito um período prolongado de repouso (quase sem regas) e proporciono um considerável diferencial térmico entre o dia e a noite, para poder florir com regularidade.
Fertilizo com o Akerne Rain Mix em quase todas as regas, sempre com doses de baixa concentração (apenas metade da dose indicada pelo fornecedor). Durante o Inverno suspendo todas as aplicações de fertilizante, retomando estas a partir do surgimento dos novos pseudobulbos (início da Primavera).

Referências bibliográficas: 


http://orchidspecies.com/dencretaceum.htm


https://wcsp.science.kew.org/qsearch.do


https://www.facebook.com/americo.pereira.39904

sexta-feira, 5 de abril de 2019

Cymbidium floribundum

O Cymbidium floribundum é uma planta de médio porte, nativa do Estado de Yunnan (China), do Sul de Taiwan e do  Norte do Vietname. Desenvolve-se de forma epífita ou litófila, em florestas sempre verdes e sombreadas, de zonas montanhosas, entre os 400 e os 3330 metros de altitude.
As suas inflorescências, que surgem normalmente no início da Primavera, são relativamente longas e compactas, formadas por imensas pequenas flores não perfumadas e belamente coloridas. 
É uma espécie para ser cultivada em climas/ambientes temperados/frios, em locais mediamente sombreados e em vasos e substratos semelhantes à maioria dos Cymbidium deste tipo.





Referências bibliográficas:

http://orchidspecies.com/cymfloribundumvarpumilum.htm