quarta-feira, 20 de junho de 2018

Maxillaria elatior

Maxillaria elatior é uma espécie que pode apresentar alguma variabilidade nas suas florações, sendo uma planta de tamanho médio/grande, com um comportamento de crescimento na vertical. As suas inflorescências são solitárias, com flores que atingem os 5 cm de dimensão, de aspeto ceroso e belamente coloridas.

Família: Orchidaceae          Género: Maxillaria          Espécie: elatior

Habitat natural: Planta epífita, que se desenvolve sobre os galhos/troncos maiores das árvores, em florestas de folha persistente, em zonas montanhosas e em altitudes entre os 400 e 1500 metros. Pode ser observada, no seu habitat natural, em países como o México, a Costa Rica, a Nicarágua, as Honduras, o Belize e a Guatemala.




Cultivo: É uma espécie que, apesar de ser referenciada para climas temperados, se tem adaptado bem na minha estufa fria, onde as temperaturas, esporadicamente, descem até perto dos zero graus. Está num local bem sombreado, vem ventilado e com bom teor de humidade do ar.
Utilizo um vaso médio, com cerca de 15 cm de diâmetro, com um substrato à base de casca de pinheiro de média granulometria (70%), argila expandida (25%) e perlite (5%). Rego o necessário para manter apenas o substrato ligeiramente húmido, evitando encharcamentos. Quando o substrato evidenciar sinais de degradação deve ser substituído por novo.
Fertilizo com o Akerne Rain Mix, uma a duas vezes por semana, sempre com metade da dose indicada pelo fabricante, para cada litro de água. No Inverno deixo de aplicar fertilizações.

Referências bibliográficas:

http://orchidspecies.com/maxieliator.htm

https://www.facebook.com/americo.pereira.39904

segunda-feira, 18 de junho de 2018

Cattleya nobilior var. amaliae

A Cattleya nobilior var. amaliae é uma bonita variedade desta magnífica espécie. Embora com algumas semelhanças entre a Cattleya nobibior e a Cattleya walkeriana, a Cattleya nobilior destaca-se claramente por ser uma planta bifoliada e ainda por algumas diferenças nas flores, sobretudo pelo seu peculiar labelo. É uma planta um pouco mais exigente no seu cultivo mas merece bem o esforço, especialmente quendo somos beneficiados com estas deslumbrantes florações.

Família: Orchidaceae     Género: Cattleya     Espécie: nobilior    var. amaliae

Habitat natural: É uma espécie epífita que vegeta sobre os troncos rugosos de árvores, sempre bem exposta à luz solar, no alto de falésias, beneficiando de excelente circulação de ar, em altitudes que oscilam entre os 150 e os 700 metros. Esta variedade da Cattleya nobilior é proveniente dos Estados de Goiás e Tocantins, no Brasil.




Cultivo: É uma espécie que requer temperaturas bem quentes o ano todo, não tolerando estar exposta ao frio durante o Inverno. Esta planta está montada num pedaço de madeira rugoso e é cultivada na minha estufa aquecida, no local com maior exposição de luz, com excelente arejamento e com bom nível de humidade do ar durante a Primavera e Verão. 
Rego com frequência (3 a 4 vezes por semana) na segunda metade da Primavera, Verão e primeira metade do Outono. Durante os restantes 5 meses do ano é importante proporcionar-lhe um prolongado stress hídrico, regando apenas o necessário para não desidratar a planta. Com o tempo frio e chuvoso deve mesmo suspender-se todas as regas.
Fertilizo com o Akerne Rain Mix, duas vezes por semana, sempre com doses pouco concentradas, com apenas cerca de metade da dose que vem na informação descrita no produto. Durante o período de stress hídrico suspendo todas as fertilizações.

Referências bibliográficas: 

http://orchidspecies.com/cattwalkerianavarnobilior.htm

http://wcsp.science.kew.org/namedetail.do?name_id=346366

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Cattleya aclandiae 'Iguassu x Valley Isle'

Cattleya aclandiae 'Iguassu x Valley Isle' é uma bonita variedade desta fascinante e perfumadíssima espécie. É uma das planta de menor porte no género Cattleya, de pequenos pseudobulbos e bifoliada. As suas folhas são elípticas e espessas, manchadas de tons avermelhados e as suas inflorescências, curtas, trazem 1 a 2 flores cerosas, de longa duração e de cores belamente contrastadas.

Família: Orchidaceae     Género: Cattleya     Espécie: aclandiae    var. 'Iguassu x Valley Isle'
,
Habitat natural: Espécie epífita, proveniente de habitas quentes e relativamente secos, de baixa altitude, geralmente junto à costa, no Estado na Bahia, no Brasil. Desenvolve-se em altitudes que podem oscilar entre os 100 e os 400 metros.




Cultivo: É uma espécie a ser cultivada em ambientes bem quentinhos, não suportando o nosso frio de Inverno. Esta minha planta é cultivada todo o ano na estufa aquecida, onde as temperaturas mínimas raramente descem abaixo dos 13 a 14 graus. O local de cultivo tem boa luminosidade mas sem sol direto, boa ventilação e elevado teor de humidade do ar (geralmente acima dos 60%).
Está num pequeno cesto de madeira suspenso, num substrato composto por casca de pinheiro grossa (ORCHIATA) e argila expandida. 
No Verão rego com frequência, 3 a 4 vezes por semana, reduzindo drasticamente o número de regas durante os Inverno (apenas as necessárias para não deixar desidratar a planta). Se cultivada em vaso o número de regas deve ser inferior e o substrato deve secar bem entre as mesmas.
Fertilizo com o Akerne Rain Mix uma a duas vezes por semana, sempre com doses de baixa concentração (apenas metade da dose indicada para cada litro de água). Durante o Inverno suspendo as fertilizações.

Referências bibliográficas:

http://orchidspecies.com/cataclandiae.htm

http://wcsp.science.kew.org/namedetail.do?name_id=35779

segunda-feira, 11 de junho de 2018

Cattleya iricolor

A Cattleya iricolor é uma das espécies deste género, do grupo das unifoliadas, com flores relativamente pequenas que, embora não primando pelas formas mais desejadas, compensam pela extrema beleza das suas cores e pelo seu magnífico e intenso perfume. Sendo a primeira floração desta minha planta, fiquei imensamente satisfeito com o resultado. De notar que é já uma espécie rara no seu habitat natural.

Família: Orchidaceae         Género: Cattleya         Espécie: iricolor 

Habitat natural: Desenvolve-se como planta epífita sobre galhos de árvores bem altas, em florestas húmidas, que se situam entre os 400 e os 1200 metros de altitude. É nativa da parte oriental dos Andes, pertencentes ao Peru e ao Equador.




Cultivo: É cultivada num vaso pequeno (cerca de 10 cm de diâmetros), em casca de pinheiro grossa e argila expandida. Está todo o ano nas estufa aquecida, em local com excelente luminosidade mas sem sol direto, com boa ventilação e elevado teor de humidade do ar (entre 60 a 70%, em média).
Rego de forma a manter os substrato apenas ligeiramente húmido, deixando este secar ligeiramente entre regas. Sempre que o substrato comece a ficar demasiado encharcado, devido à sua degradação, é melhor mudar a planta para novo substrato. Este princípio é válido para o cultivo da maioria das orquídeas.
Fertilizo com o Akerne Rain Mix, uma duas vezes por semana, sempre com doses de baixa concentração (apenas cerca de metade da dose indicada pelo vendedor). Durante o Inverno suspendo as fertilizações.

http://orchidspecies.com/cattiricolor.htm

quinta-feira, 7 de junho de 2018

Coelogyne huettneriana

A Coelogyne huettneriana é uma espécie de pequeno a médio porte, de pseudobulbos oblongo-ovados, com duas folhas elípticas, alongadas e agudas na ponta. As suas inflorescências surgem a partir dos novos pseudobulbos, longas e arqueadas, compostas por diversas flores, com um perfume suave e almiscarado.

Família: Orchidaceae         Género: Coelogyne        Espécie: huettneriana

Habitat natural: Espécie que se desenvolve de forma epífita e ou litófila, em espaços abertos, nas florestas do Vietname, do Laos, da Tailândia e da Birmânia, em altitudes que podem oscilar entre os 1100 e os 1200 metros.





Cultivo: Está num pequeno vaso suspenso, em substrato composto à base de casca de pinheiro, argila expandida e alguma perlite. 
É cultivada na estufa temperada quente, embora esta espécie possa suportar algum frio durante o Inverno. O ambiente é parcialmente sombreado, bem ventilado e com elevado teor de humidade do ar.
Rego com frequência na fase de desenvolvimento da planta, reduzindo consideravelmente  as regas durante o Inverno. O substrato deve manter-se sempre ligeiramente húmido, mas sem excessos de água.
Aplico o fertilizante Akerne Rain Mix, uma a duas vezes por semana, sempre com doses pouco concentradas (cerca de metade da dose aconselhada pelo vendedor). Durante todo o Inverno suspendo as fertilizações.

http://orchidspecies.com/coelhuettneriana.htm

http://wcsp.science.kew.org/namedetail.do?name_id=45083

quarta-feira, 6 de junho de 2018

Cattleya schilleriana 'Agua Surda x Chocolate'

Esta Cattleya schilleriana foi adquirida aqui em Portugal, numa expo internacional, a um produtor do Brasil, no ano de 2015. Valeu bem a pena os três anos de espera por esta primeira floração. Estou muito e agradavelmente surpreendido pela forma e tamanho das suas flores, sobretudo pelo seu magnífico labelo, com 6 cm de largura. Fiquei, deste modo, cada vez mais admirador desta extraordinária espécie, infelizmente quase extinta na natureza.



segunda-feira, 4 de junho de 2018

Laelia speciosa

A Laelia speciosa é uma planta de pequeno porte, de pseudobulbos ovoides e rugosos, trazendo no seu ápice uma a duas folhas coriáceas e elíptico-lanceoladas. As suas inflorescências surgem no ápice dos novos pseudobulbos,  com cerca de 10 a 15 cm de comprimento, sendo geralmente compostas por 1 flor, ocasionalmente até 4, de grande porte, delicadamente coloridas e suavemente perfumadas.

Família: Orchidaceae          Género: Laelia          Espécie: speciosa

Habitat natural: Espécie que se desenvolve de forma epífita, no planalto central do México e terras altas adjacentes, em florestas abertas de carvalhos e em altitudes que podem oscilar entre os 1400 e os 2400 metros.




Cultivo: Esta espécie é cultivada todo o ano na estufa fria, onde as temperaturas podem, ocasionalmente, descer até aos zero graus durante o Inverno. O ambiente tem excelente luminosidade, sem sol direto, boa ventilação e médio teor de humidade do ar (geralmente entre os 40 e os 60%).
Está num pequeno cesto de madeira suspenso e com um substrato composto à base de casca de pinheiro grossa (cerca de 70%) e argila expandida (cerca de 30%). Esta espécie tolera períodos de seca, pelo que o substrato deve garantir excelente drenagem e secar bem entre regas, nunca tolerando que as raízes fiquem encharcadas. Desta forma, as regas devem ser apenas as necessárias para hidratar a planta, sendo estas muito espaçadas no Inverno.
Fertilizo com o Akerne Rain Mix, uma a duas vezes por semana, sempre com metade da dose indicada pelo fornecedor para cada litro de água. A partir da segunda metade do Outono e durante o Inverno suspendo as fertilizações, retomando estas logo no início da Primavera.

http://orchidspecies.com/laelspeciosa.htm

http://wcsp.science.kew.org/qsearch.do

https://www.facebook.com/americo.pereira.39904