quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

Dendrochilum cobbianum

Dendrochilum cobbianum é uma planta de pequeno a médio porte, de pseudobulbos pequenos e cónicos, com uma única folha apical, oblongo-lanceolada. As suas inflorescências são longas e pendentes, compostas por imensas flores densamente dispostas ao longo da  haste e bem perfumadas.

Família: Orchidaceae           Género: Dendrochilum          Espécie: cobbianum

Habitat natural: Esta é uma espécie que se desenvolve de forma epífita sobre os troncos da árvores, por vezes como litófila sobre as rochas, em áreas bem expostas ao sol, nas florestas das Filipinas, em altitudes acima dos 1200 metros.





Cultivo: É cultivada em ambiente temperado, numlocal com boa luminosidade, bem ventilado e com elevado teor de humidade relativa do ar.
O substrato utilizado é composto maioritariamente por casca de pinheiro média, alguma argila expandida (cerca de 20%) e alguma perlite (cerca de10%).
Rego com frequência desde o surgimento dos novos pseudobulbos até à sua maturação, que normalmente acontece por alturas da floração, mas mantendo o substrato apenas ligeiramente húmido. Durante o resto do tempo reduzo a frequência das regas.
A fertilização é feita com o Akerne Raim Mix. uma a duas vezes por semana, sempre com doses de baixa concentração (apenas metade da dose indicada pelo fornecedor por cada litro de água). Durante os meses de Inverno mais frios e chuvosos suspendo as fertilizações.

Referências bibliográficas:

http://orchidspecies.com/dendrcobbianum.htm

https://wcsp.science.kew.org/qsearch.do

https://www.facebook.com/americo.pereira.39904

quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

Maxillaria desvauxiana

A Maxillaria desvauxiana é uma espécie muito pouco vista em cultivo. É uma planta de médio porte, de pseudobulbos ovoides, ligeiramente comprimidos, com uma única longa folha coriácea e oblongo elíptica. Como é caraterístico deste género, as inflorescências são solitárias, tendo nesta espécie um pedúnculo muito curto, ficando as flores muito próximas dos pseudobulbos. Estas são cerosas, de longa duração, com cerca de 5 a 6 cm de envergadura e perfumadas.    

Família: Orchidaceae         Género: Maxillaria         Espécie: desvauxiana

Habitat natural: Espécie epífita ou litófila, de crescimento cespitoso, que se manifesta em florestas húmidas e algo montanhosas, entre os 100 e os 1850 metros de altitude, em diversos países da América do Sul, destacando-se o Equador, o Peru, a Venezuela, a Colômbia e a Bolívia, entre outros de menor dimensão.




Cultivo: Esta planta está todo o ano na estufa temperada, com 12 graus de mínima e 34 graus de máxima, podendo contudo suportar temperatura ligeiramente mais baixas. O ambiente de cultivo é sempre sombreado, bem ventilado e com elevado teor de humidade relativa do ar.
Utilizo um vaso com cerca de 10 a 12 cm de diâmetro e um substrato composto por maioritariamente por casca de pinheiro de média  granulometria (60 a 70%), argila expandida (20 a 30%) e perlite (10%).
A frequência das regas é apenas a necessária para manter o substrato ligeiramente húmido, durante   todo o tempo, adequando estas a cada estação do ano. Importante nunca deixar este encharcar.
Fertilizo com o Akerne Rain Mix, uma a duas vezes por semana, sempre com doses de baixa concentração (apenas metade da dose indicada no rótulo, por cada litro de água).

Referências bibliográficas:

http://orchidspecies.com/maxdesvauxiana.htm

https://wcsp.science.kew.org/qsearch.do

https://www.facebook.com/americo.pereira.39904

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Maxillaria scalariformis

Esta é a segunda floração desta Maxillaria scalariformis, uma belíssima espécie proveniente de habitats naturais da Guatemala, onde se desenvolve como planta epífita, em florestas chuvosas e com altitudes entre os 1000 e os 1300 metros. É uma espécie a cultivar em ambientes temperados, bem ventilados,  sombreados e com elevado teor de humidade relativa do ar.



segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Comparettia speciosa

Comparettia speciosa é uma planta miniatura ou de médio porte, tendo pseudobulbos oblongos, lateralmente achados, com uma folha apical, coriácea e oblongo lanceolada. As suas inflorescências são relativamente longas e podem ser compostas por diversas flores intensamente coloridas de cor de laranja.

Família: Orchidaceae          Género: Comparettia          Espécie: speciosa

Habitat natural: É uma espécie epífita, desenvolvendo-se no Sudeste do Equador e no Noroeste do Peru, em florestas montanhosas, densas e chuvosas, com um elevadíssimo grau de humidade e em altitudes que podem oscilar entre os 700 e os 2000 metros.




Cultivo: Esta planta está montada numa pequena placa de cortiça, em local parcialmente sombreado e bem ventilado. Está todo ao ano na estufa aquecida, onde as temperaturas mínimas nunca descem abaixo dos 12 graus e com elevado teor de humidade relativa do ar (60 a 80%). Não será aconselhado nenhum tipo de exposição solar.
Nas estações mais quentes e secas do ano deve ser regada com frequência (várias vezes por semana), espaçando consideravelmente o número de regas durante a segunda metade do Outono e durante todo o Inverno. Nunca deverá ter as raízes secas por períodos prolongados de tempo. Para quem cultiva em vaso a frequência das regas deverá ser menor.
Utilizo como fertilizante o Akerne Rain Mix, com uma a duas aplicações semanais (doses pouco concentradas), suspendendo totalmente as fertilizações durante o Inverno.

Referências bibliográficas: 

http://orchidspecies.com/compspeciosa.htm

domingo, 2 de dezembro de 2018

Laelia furfuracea

Laelia furfuracea é uma planta miniatura a pequeno porte, de pseudobulbos cónicos-ovoides, com uma folha apical (muito raramente duas), coriácea, ereta e lanceolada.  As suas inflorescências são compostas por hastes longas, com uma a várias flores de bom porte e finamente rosadas.

Família: Orchidaceae        Género: Laelia         Espécie: furfuracea

Habitat natural: Esta é uma espécie que se desenvolve de forma epífita, no estado de Oaxaca, no sul do México, crescendo sobre a casca rugosa de carvalhos velhos, em florestas com altitudes compreendidas entre os 2100 e os 3000 metros.




Cultivo: Cultivo esta espécie montada numa pequena placa de cortiça, estando todo o ano na estufa fria, onde as temperaturas mínimas descem, por vezes, até perto dos zero graus, durante a noite. O ambiente é ligeiramente sombreado, mas com ótima luminosidade, bem ventilado e com elevado teor de humidade relativa.
Durante as estações do ano mais quentes e secas rego quase diariamente, reduzindo drasticamente o número de regas durante o Inverno, sobretudo quando as temperaturas estão baixas. Nesta altura requer um período de descanso.
Fertilizo com o Akerne Rain Mix, uma a duas vezes por semana, sempre com cerca de metade da dose indicada pelo fornecedor para cada litro de água. Durante a segunda metade do Outono e no Inverno suspendo as fertilizações.

Referências bibliográficas:

 http://orchidspecies.com/laelfurfuracea.htm

https://wcsp.science.kew.org/qsearch.do

quarta-feira, 21 de novembro de 2018

Masdevallia veitchiana

A Masdevallia veitchiana é uma espécie de pequeno a médio porte. Esta carateriza-se pelas suas longas inflorescências, cujas hastes sobressaem muito acima do resto da planta e ainda pelo seu intenso e inconfundível colorido.

Família: Orchidaceae        Género: Masdevallia        Espécie: veitchiana

Habitat natural: Esta é uma espécie se desenvolve predominantemente como planta  terrestre, por vezes litófila e muito raramente como epífita. É oriunda de Macchu Picchu e suas proximidades, no Peru, crescendo em encostas íngremes e rochosas, cobertas de ervas e arbustos, em altitudes que podem oscilar entre os 2000 e os 4000 metros.



Cultivo: Sendo uma planta proveniente de habitats muito elevados, requer locais de cultivo frescos, bem ventilados e parcialmente sombreados, podendo suportar temperaturas até cerca dos zero graus de mínima, durante o Inverno. No Verão não tolera temperaturas excessivamente altas, devendo estas não ultrapassar os 28 a 30 graus de máxima. É também importante um elevado teor de humidade relativa.
Cultivo em vaso pequeno, num substrato composto maioritariamente por casca de pinheiro fina e média (de 6 a 12/18mm), alguma argila expandida e alguma perlite.
Rego de forma a ter o substrato sempre húmido, mas nunca encharcado, sendo estas mais abundantes no Verão e bastante mais espaçadas no Inverno.
As espécies do género Masdevallia não necessitam muito de fertilizações pelo que estas devem ser mais espaçadas (uma vez por semana ou quinzenalmente) e sempre com doses muito reduzidas (apenas metade do aplicado nas restantes orquídeas).

Referências bibliográficas: 

http://orchidspecies.com/masveitchiana.htm

quinta-feira, 8 de novembro de 2018

Bulbophyllum rothschildianum

O Bulbophyllum rothschildianum é uma planta de pequeno a médio porte, com pseudobulbos ovoides e uma única folha apical, em cada um deles. As suas inflorescências são longas, cada uma com diversas flores dispostas em umbela, libertando um odor desagradável. Normalmente, floresce na Primavera e ou no Outono.

Família: Orchidaceae         Género: Bulbophyllum         Espécie: rothschildianum

Habitat natural: É uma espécie que se desenvolve de forma epífita e que vegeta em florestas de baixa e média altitude, no sul de Yunnan, província da China, em Assam, província da nordeste da Índia e ainda na Birmânia.




Cultivo: É cultivada todo o ano na estufa aquecida, onde são garantidas temperaturas mínimas de 12 graus e máximas de 33 graus. O local de cultivo é bem ventilado (fator importante para todos os Bulbophyllum), sempre com sombra parcial e elevado teor de humidade relativa do ar.
Utilizo um vaso médio (cerca de 12 cm) suspenso e um substrato composto por uma mistura de casca de pinheiro média (70%), argila expandida (20%) e perlite (10%). As percentagens são meramente indicativas. 
Sobretudo nas estações mais quentes e secas do ano deve ser regado abundantemente e com regularidade, de forma a manter o substrato sempre húmido, mas garantido sempre uma boa capacidade de drenagem do mesmo. Sempre que se notar degradação acentuada deste, deve-se proceder à sua substituição.
Aprecia fertilizações regulares. Eu utilizo o Akerne Rain Mix, duas vezes por semana, sempre com doses de baixa concentração (apenas metade da dose indicada pelo fornecedor para cada litro de água). No Inverno suspendo a sua aplicações.
Nota: Estas plantas sentem-se "felizes" quando crescem para fora dos vasos e apresentam boas raízes aéreas.

Referências bibliográficas: 

http://orchidspecies.com/bulbrothchildsianum.htm

https://wcsp.science.kew.org/qsearch.do