segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Oncidium cheirophorum

O Oncidium cheirophorum é uma planta miniatura de pseudobulbos piriformes, com uma única folha surgindo do ápice destes, elíptico lanceolada. As suas inflorescências são compostas por numerosas flores, de 1 a 1,5 cm, de cor amarelo vivo.

Família: Orchidaceae        Género: Oncidium        Espécie: cheirophorum

Habitat natural: Esta é uma planta epífita, nativa das florestas tropicais da Nicarágua, Colômbia, El salvador, Honduras, Guatemala, Panamá, Costa Rica e México, desenvolvendo-se em altitudes que podem oscilar entre os 1000 e os 2500 metros.




Cultivo: Está montada numa pequena placa de cortiça, em ambiente sombreado, mas com excelente luminosidade, com elevado teor de humidade do ar e boa ventilação. Está todo o ano na estufa temperada quentes, podendo, contudo, suportar temperaturas ligeiramente mais baixas.
Como planta montada, necessita de regas ao longo de todo o ano, mais frequentes nas estações quentes e secas do ano e mais espaçadas no Inverno.
Fertilizo com o Akerne Rain Mix uma a duas vezes por semana, sempre com doses de baixa concentração (metade da dose indicada para cada litro de água). Durante o Inverno suspendo as fertilizações.

http://wcsp.science.kew.org/namedetail.do?name_id=139248

Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Maxillaria lexarzana

A Maxillaria lexarzana  é mais conhecida, nos meios orquidófilos, pelo seu sinónimo Camaridium atratum. É uma planta robusta, com pseudobulbos rugosos, elípticos a ovoides e algo achatados, com uma única folha no ápice destes, ereta e oblongo lanceolada.

Família: Orchidaceae         Género: Maxillaria         Espécie: lexarzana

Habitat natural: É proveniente de alguns estados do México, habitando em florestas húmidas de carvalhos e pinheiros, como planta epífita, em altitudes que podem oscilar entre os 1600 e os 2400 metros.




Cultivo: É cultivada num vaso médio, em substrato composto maioritariamente por casca de pinheiro média, alguma argila expandida e perlite.
Está todo o ano num ambiente temperado, bem sombreado, com elevado teor de humidade do ar e boa ventilação.
Rego de forma a manter o substrato sempre ligeiramente húmido, nunca deixando secar completamente entre regas. Estas devem ser mais frequentes nas estações mais quentes e secas do ano e bastante mais espaçadas no Inverno.
Fertilizo com o Akerne Rain Mix, uma a duas vezes por semana, sempre com metade dose para cada litro de água. No Inverno suspendo as fertilizações.


Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Dinema polybulbon

A Dinema polybulbon é uma espécie miniatura de pseudobulbos ovoides, com duas pequenas folhas no ápice destes, elípticas lanceoladas ou ovaladas. As suas belíssimas inflorescências são solitárias, com flores de tamanho considerável (cerca de 3 cm) e cores bem contrastadas.

Família: Orchidaceae         Género: Dinema        Espécie: polybulbon

Habitat natural: Espécie epífita, por vezes litófila, que se desenvolve em florestas mistas e húmidas, quase sempre sobre carvalhos, em países como o México, Nicarágua, Panamá, Belize, El salvador, Guatemala, Honduras, Cuba e Jamaica.



Cultivo: É cultivada todo o ano na estufa aquecida, em local sombreado, com boa ventilação e elevado teor de humidade do ar. Está montada numa pequena placa de madeira.
Rego com frequência nas estações mais quentes e secas do ano, de modo a manter a planta sempre hidratada e húmida. No Inverno reduzo consideravelmente as regas, sobretudo se o tempo for frio e chuvoso.
Fertilizo com o Akerne Rain Mix, uma a duas vezes por semana, com apenas metade da dose indicada pelo fornecedor, para cada litro de água. No Inverno deixo de aplicar fertilizações.



Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Prosthechea terassaniana

Prosthechea terassaniana  é uma espécie de pequeno a médio porte que possui pseudobulbos fusiformes, comprimidos lateralmente (achatados), cujo ápice suporta uma, raramente duas, folhas oblongas lanceoladas e ligeiramente coriáceas. A sua inflorescência é ereta e composta por várias flores não ressupinadas e ligeiramente perfumadas. Aqui, floresce quase sempre em pleno Inverno.

Família: Orchidaceae         Género: Prosthechea        Espécie: terassaniana

Habitat natural: É uma espécie epífita, proveniente do Estado de S. Paulo, no Brasil. Desenvolve-se em florestas quentes e húmidas (chuvosas) de baixa altitude, entre os 200 e os 300 metros.





Cultivo: É cultivada montada numa pequena placa de cortiça, na estufa temperada quente, em ambiente sombreado, mas com boa luminosidade. O local é bem ventilado e com elevado teor de humidade do ar.
Regas frequentes nas estações mais quentes e secas do ano, espaçando estas bastante durante o Inverno.
Fertilizo com o Akerne Rain Mix uma a duas vezes por semana, com doses pouco concentradas. No Inverno suspenso as fertilizações, tal como faço com a generalidade das orquídeas.

Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Lalelia rubescens

A Laelia rubescens é uma espécie de pequeno/médio porte, fácil de acomodar e de cultivar. Apresenta pseudobulbos ovoides, curtos  e algo enrugados, geralmente com uma única folha apical, coriácea e de forma ovalada lanceolada. As suas inflorescências são longas e compostas por diversas flores levemente rosadas e perfumadas.

Família: Orchidaceae         Género: Laelia        Espécie: rubescens

Habitat natural: É uma espécie que se desenvolve de forma epífita, raramente como litófila, em vários países da América Central:  México, Honduras, Nicarágua, Guatemala, Belize, El Salvador, Costa Rica. Habita em regiões florestais decíduas, sobre as árvores, em locais secos e expostos ao sol  e bem ventilados, desde o nível do mar até aos 1700 metros de altitude.




Cultivo: Está todo o ano na estufa temperada quente, em local com excelente luminosidade e bem ventilado.
É cultivada montada numa pequena placa de madeira. Rego com alguma frequência durante as estações mais quentes e secas do ano, reduzindo drasticamente as regas na segunda metade do Outono e no Inverno. Se o tempo for algo frio e chuvoso deve mesmo suspender-se qualquer tipo de rega.
Fertilizo com o Akerne Rain Mix, uma a duas vezes por semana, aplicando apenas metade da dose indicada pelo fornecedor para cada litro de água. A partir de meados do Outono e Inverno suspendo as fertilizações. 

Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Barkeria whartoniana

A Barkeria whartoniana é uma espécie de pequeno a médio porte com belíssimas inflorescências multiflorais, maravilhosamente coloridas e de formas muito exóticas e invulgares. É mais uma orquídea para apreciar nos seus mais detalhados pormenores, sendo para mim uma muito agradável surpresa.

Família: Orchidaceae          Género: Barkeria         Espécie: whartoniana

Habitat natural: Espécie que se desenvolve de forma litófila, ocasionalmente como epífita, em florestas de árvores decíduas, em ambientes quentes e secos, cujas altitudes se situam entre os 200 e os 300 metros, no Estado de Oxaca, no México.




Cultivo: É cultivada todo o ano na estufa temperada/quente, em ambiente bem ventilado, sombreado mas com excelente luminosidade e bom grau de humidade do ar, geralmente sempre acima dos 50%.
Está num pequeno vaso/cesto, suspenso, com casca bem grossa e argila expandida.
Rego frequentemente nas estações mais quentes e secas do ano, reduzindo drasticamente durante parte do Outono e no Inverno.
Fertilizo uma a duas vezes por semana com o Akerne Rain Mix, sempre com doses pouco concentradas. No Inverno suspendo as fertilizações.


Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Gastrochilus acutifolius

A Gastochilus acutifolius é uma espécie de pequeno a médio porte, de crescimento monopodial, algo semelhante às Vanda, com inflorescências curtas e com diversas flores, levemente perfumadas.

Família: Orchidaceae        Género: Gastrochilus       Espécie: acutifolius

Habitat natural: É uma espécie epífita, que habita florestas mistas (coníferas e folhosas decíduas e semi-decíduas) de baixa e média altitude, entre os 700 e os 900 metros. É proveniente da Ásia, de locais como a Índia (Assam), os Himalaias do leste, o Nepal, a Birmânia e  o Vietname.




Cultivo: É cultivada todo o ano na estufa temperada quente, onde as temperaturas mínimas nunca descem abaixo doa 12 a 13 graus. O ambiente de cultivo é ligeiramente sombreado, recebendo excelente luminosidade, sendo bem ventilado e com elevado teor de humidade do ar.
Está num pequeno cesto de madeira, com um substrato à base de casca de pinheiro grossa e argila expandida.
Rego com frequência e abundantemente nos meses do ano mais quentes e secas, reduzindo consideravelmente quando o tempo vai frio e chuvoso.
Fertilizo uma a duas vezes por semana com o Akerne Rain Mix, semtre com doses pouco concentradas (metade da dose indicada para cada litro de água). Durante a segunda metade do Outono e no Inverno suspendo todas as fertilizações.

Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia