sexta-feira, 24 de setembro de 2021

Bulbophyllum tremulum

O Bulbophyllum tremulum é uma espécie epífita, unifoliada, que se desenvolve em florestas da Índia, situadas em altitudes à volta dos 1000 metros, com hastes florais compostas por diversas pequenas flores, das quais de destaca o seu invulgar labelo.

Tal como a maioria das espécies, deste diversificado género, aprecia ser cultivada em bases/substratos que retenham bastante humidade, em locais sombreados, com elevado teor de humidade relativa e com excelente ventilação. Este suporta temperaturas ligeiramente mais baixas do que a maioria.





Referências bibliográficas:

IOSPE PHOTOS (orchidspecies.com)

World Checklist of Selected Plant Families: Royal Botanic Gardens, Kew

quinta-feira, 2 de setembro de 2021

Bulbophyllum recurvilabre

O Bulbophyllum recurvilabre é uma espécie que só pode ser encontrada, no seu estado natural, nas Filipinas, em zonas de baixa altitude, desde o nível do mar, até aos 500 metros. É uma planta de médio porte, com pseudobulbos ovalados e com uma única folha apical. As inflorescências partem da base dos pseudobulbos e podem conter várias flores vistosas, mas com um odor desagradável.

É cultivada na estufa temperada quente, em local sombreado, bem ventilado e com e elevado teor de humidade relativa. Uso um vaso médio e uma mistura de casca de pinheiro média e fina e argila expandida. As regas devem ser as necessárias para manter o substrato ligeiramente húmido, ao longo de todo o ano. Fertilizo com o Akerne's Rain Mix, duas a três vezes por semana, sempre com doses de baixa concentração. No Inverno suspenso as fertilizações.



Referências bibliográficas:

IOSPE PHOTOS (orchidspecies.com)

World Checklist of Selected Plant Families: Royal Botanic Gardens, Kew

sexta-feira, 20 de agosto de 2021

Cymbidium chloranthum

O Cymbidium chloranthum  é uma espécie de médio porte, nativa da Malásia, Sumatra, Bornéu, Java e Filipinas, onde se desenvolve como planta epífita, em florestas perenes de baixa altitude, entre os 250 e os 1000 metros. As suas inflorescências comportam inúmeras pequenas flores, com cerca de 3 cm, não perfumadas.

É uma planta a ser cultivada em estufa aquecida, pois não suporta temperaturas muito abaixo do 12 a 13 graus de mínima. O ambiente de cultivo deve ser mediamente sombreado, com boa ventilação e elevado teor de humidade relativa. Utilizo um vaso médio, com um composto à base de casca de pinheiro média e fina e argila expandida. Os cuidados de cultivo são semelhantes às restantes espécies de Cymbidium,




Referências bibliográficas: 

IOSPE PHOTOS (orchidspecies.com)

World Checklist of Selected Plant Families: Royal Botanic Gardens, Kew

segunda-feira, 5 de julho de 2021

Stanhopea ruckeri

A Stanhopea ruckeri é uma espécie de médio porte, que se desenvolve como planta epífita, por vezes como terrestre, em florestas montanhosas, entre os 800 e os 1500 metros de altitude, situadas no México,  Belize, Nicarágua, Guatemala, Honduras e El Salvador.

Cultivo este exemplar na estufa fria, o ano inteiro, num local sombreado, bem ventilado e com elevado teor de humidade relativa. Utilizo um cesto suspenso e um substrato próprio para epífitas. Rego de forma a manter o substrato ligeiramente húmido, secando este, apenas, por períodos muito curtos de tempo. Fertilizo duas vezes por semana com o Akerne's Rain Mix. Durante o Inverno suspendo as fertilizações.



Referências bibliográficas:

IOSPE PHOTOS (orchidspecies.com)

World Checklist of Selected Plant Families: Royal Botanic Gardens, Kew

quarta-feira, 9 de junho de 2021

Vanda falcata 'Hisui'

A Vanda falcata 'Hisui', é uma variedade que se carateriza pela cor verde escura das folhas, estreitas, cujas flores são verdes e com o labelo branco. É uma variedade registada pela Prefeitura de Kochi, no Japão. Mantém o delicioso perfume da espécie tipo.




segunda-feira, 24 de maio de 2021

Dendrobium parishii

O Dendrobium parishii é uma planta de pequeno a médio porte, cujas inflorescências possuem de duas a três flores, perfumadas e de longa duração. Estas surgem a partir dos nós dos pseudobulbos do ano anterior, já sem folhas. É uma espécie que se desenvolve, no seu habitat natural, de forma epífita, em florestas situadas entre os 250 e os 1700 metros de altitude. Pode ser encontrada na China, Índia, Vietname, Laos, Tailândia, Birmânia e Bangladesh.

Cultivo-a na estufa temperada/quente, montada em placa de cortiça, em local sombreado, com boa ventilação e elevado teor de humidade relativa. A partir do aparecimento dos novos pseudobulbos, até à sua completa maturação, deve ser regada com frequência, de forma a manter as raízes e a planta sempre bem hidratadas. Durante o Inverno deve ser proporcionado um longo período de descanso, quase sem regas, para que possa florir com facilidade. Fertilizo duas a três vezes por semana, com o Akerne Rain's Mix, sempre com doses de baixa concentração. Durante o período de descanso da planta, suspendo todas as fertilizações.




Referências bibliográficas: 

IOSPE PHOTOS (orchidspecies.com)

World Checklist of Selected Plant Families: Royal Botanic Gardens, Kew

terça-feira, 18 de maio de 2021

Paphiopedilum argus

O Paphiopedilum argus é uma espécie  endémica nas Filipinas, desenvolvendo-se como planta terrestre, em solos calcários, em altitudes situadas entre os 600 e os 2000 metros. Normalmente, floresce no final da Primavera e  no Verão, com inflorescências compostas por uma só flor. 

Cultivo-a na estufa temperada quente, em local bem sombreado, com elevado teor de humidade relativa e ventilação constante. Utilizo um vaso pequeno e um substrato composto por casca de pinheiro média e fina, argila expandida e casca de ostra.

As regas devem ser apenas as necessária para manter o substrato ligeiramente húmido, adequando a periodicidade destas às diferentes estações do ano. Fertilizo com o Akerne's Raim Mix, cerca de duas vezes por semana, sempre com apenas metade da dose indicada. Durante o Inverno suspendo todas as fertilizações.



Referências bibliográficas:

IOSPE PHOTOS (orchidspecies.com)