quarta-feira, 30 de março de 2016

Pholidota chinensis



 
A Pholidota chinensis é uma espécie de pequeno a médio porte, com hastes florais de belo efeito, longas, com inúmeras flores densamente e geometricamente dispostas, de tons quase brancos. É uma espécie com facilidade em florir, não sendo a floração muito duradoura.
 
Família: Orchidaceae          Género: Pholidota           Espécie: chinensis
 
Habitat natural: Planta que se desenvolve de forma epífita ou litófila e que pode ser observada, no seu estado natural, nas florestas húmidas e chuvosas, de baixa a elevada altitude, entre os 300 e os 2500 metros. Tanto pode desenvolver-se em locais sombrios, como em áreas abertas, sobre locais rochosos e húmidos ou sobre as árvores.
 
Cultivo: Está cultivada em estufa temperada/quente, em local sombreado, com elevado grau de humidade e bem ventilado.
O substrato é uma mistura para epífitas, de média granulometria, de forma a garantir um bom arejamento das raízes e uma rápida drenagem da água.
As regas devem ser as suficientes apenas para garantir que o substrato de mantenha sempre húmido, evitando situações de encharcamento. Pode haver situações de seca ligeira entre regas, nunca por períodos prolongados.
Aplico fertilizações com Akerne Rain Mix, em doses de baixa concentração (metade da dose indicada pelo fornecedor), duas a três vezes por semana, com redução acentuada ou mesmo suspensão na estação mais fria do ano.
 
Nota: Também há quem cultive esta orquídea, com bons resultados, montada numa placa de cortiça ou de madeira.

 https://www.facebook.com/americo.pereira.39904

Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

sexta-feira, 25 de março de 2016

Coelogyne albolutea



 
 
Tendo sido considerada por alguns, durante muito tempo, como sendo uma variedade alba da Coelogyne flaccida,  foi entretanto considerada como uma nova espécie. A Coelogyne albolutea Rolfe, cuja definição e estatuto foi aceite pela World Checklist of Selected Plant Families, é uma planta de belo efeito, com cores e formas surpreendentemente suaves e elegantes.. As suas flores são ligeiramente maiores e o perfume também algo diferente da C. flaccida, sendo a planta muito semelhante.
 
Família: Orchidaceae          Género: Coelogyne         Espécie: albolutea
 
Habitat natural: Planta de médio porte, proveniente das florestas de média a elevada altitude, da parte oriental dos Himalaias Indianos e, provavelmente, de outra regiões da Ásia continental.
 
Cultivo: Está cultivada num vaso médio, em substrato para epífitas, numa mistura à base de casca de pinheiro de média granulometria (1 a 2 cm), argila expandida, pedaços de fibra de coco e perlite.
Ambiente de cultivo temperado, com sombra mas boa luminosidade e elevado grau de humidade.
É regada e fertilizada com regularidade, duas  a três vezes por semana, nas fase de desenvolvimento dos novos pseudobulbos, até à sua completa maturação. Redução acentuada das regas durante o Inverno e suspensão das fertilizações até ao final da época de floração. Logo após a floração reatar novamente o ciclo normal de tratamentos, de forma a garantir florações abundantes na época seguinte.
 
Referências bibliográficas: World Checklist of Selected Plant Families
 

sexta-feira, 18 de março de 2016

Expo Orquídeas 2016

 
PRESS RELEASE

Desde sempre que as Orquídeas provocam um inexplicável fascínio nos seres humanos. Será a sua extrema beleza e aparente fragilidade? As suas peculiares e secretas vidas nos lugares mais recônditos do mundo? Ou grande variedade de estranhas formas, cores e aromas que as caracterizam? É difícil dizer.
Nos dias 8, 9 e 10 de Abril, o Clube dos Orquidófilos de Portugal, associação sem fins lucrativos, com o objetivo de divulgar maravilhas botânicas, apresenta a EXPO ORQUÍDEAS LISBOA 2016, um evento que se propõem mostrar ao público alguns dos mais belos exemplares destas fabulosas plantas.

O tema desta exposição serão "Os Caçadores de Orquídeas", lembrando um tempo em que, com meios escassos, botânicos, exploradores e caçadores de fortunas arriscavam as próprias vidas em terras estranhas para encontrar as plantas que nunca tinham sido encontradas.

No auditório e no salão de festas do Jardim Zoológico de Lisboa, vão realizar-se exposições de orquídeas, de pintura, vendas de plantas, de livros e artesanato, vão decorrer palestras com oradores portugueses e estrangeiros especialistas nos mais variados temas relacionados com Orquídeas e demostrações práticas de como cultivar orquídeas nas nossas casas.

Será um fim-de-semana em que as Orquídeas serão as rainhas e que nenhum apaixonado por plantas deverá perder.

Para mais informações, consulta de horários e programa, aceda ao sítio do Clube dos Orquidófilos de Portugal em http://www.clubeorquidofilosportugal.pt

Esperamos por si.

terça-feira, 15 de março de 2016

Bulbophyllum odoratissimum

 
 
 

O Bulbophyllum odoratissimum é uma das poucas espécies deste género com flores agradavelmente perfumadas. A maioria das espécies de Bulbophyllum destacam-se pelo exotismo das suas formas, mas também por aromas nauseabundos, adequados para atrair determinado tipo de insetos, aromas esses que são bastante desagradáveis ao nosso olfato e que se fazem sentir mesmo a distâncias consideráveis.
 
Família: Orchidaceae          Género: Bulbophyllum          Espécie: odoratissimum
 
Habitat natural: Esta espécie miniatura desenvolve-se, no seu estado natural, de forma epífita ou litófila, em planícies de florestas verdejantes, entre os 800 e os 2500 metros de altitude. Os seus habitas distribuem-se por várias províncias da China, na Índia (nos estados de Sikkim e Assam), no Nepal, no Butão, Birmânia, na Tailândia, no Laos e no Vietname.
 
Cultivo: Esta cultivada num pequeno vaso suspenso, em substrato próprio para epífitas (casca de pinheiro de pequena granulometria, argila expandida, fibra de coco e perlite). Qualquer tipo de substrato usado para o cultivo desta espécie deverá ser capaz de garantir boa capacidade de drenagem, mas, simultaneamente, reter constantemente humidade.
O ambiente de cultivo deverá ser um local com sombra, excelente grau de humidade, bom arejamento e temperaturas quentinhas durante todo o ano.
Regar e fertilizar com regularidade ao longo das estações mais quentes e secas, sendo de forma mais espaçada no Inverno. O fertilizante deverá ser aplicado em doses de baixa concentração.

 https://www.facebook.com/americo.pereira.39904

Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

quinta-feira, 10 de março de 2016

Cymbidium wenshanense

 

 

 O Cymbidium wenshanense é uma espécie pouco comum, sendo mesmo rara, constituindo-se como uma planta de médio porte, com flores grandes e vistosas, predominantemente brancas, com um labelo estriado de vermelho e de tons amarelados no hipoquilo. As flores possuem ainda um perfume adocicado, algo intenso, que se nota em qualquer fase do dia.
A haste floral forma um conjunto de belo efeito, sendo composta, normalmente, por três a sete flores.
 
Família: Orchidaceae          Género: Cymbidium          Espécie: wenshanense
 
Habitat natural: Espécie epífita, que se desenvolve sobre as árvores, nas florestas da província de Yunnan (na China) e ainda do Norte do Vietname. Podemos observá-la, no seu estado natural,  em altitudes entre os 1000 e os 1500 metros.
 
Cultivo: Está num pequeno vaso próprio para Cymbidium "chineses", estreito, mas bastante alto.
Utilizo um substrato à base de casca de pinheiro média, argila expandida, perlite e uma pequena percentagem de bocados de tijolo pequenos.
Cultivado em estufa fria, todo o ano, podendo mesmo estar no exterior, em local abrigado da chuva e das geadas. Requer sombra moderada, não sendo conveniente apanhar sol direto
Rego o número de vezes suficiente, de forma a manter o substrato sempre húmido. Fertilizo, com o Akerne rain Mix, duas vezes por semana, suspendendo totalmente durante o Inverno.
Esta forma de cultivo é válida para a maioria das espécies deste grupo (os chamado Cymbidium "chineses").

 https://www.facebook.com/americo.pereira.39904

Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

domingo, 6 de março de 2016

Maxillaria juergensii



 
A Maxillaria juergensii é uma espécie miniatura, proveniente do Brasil, Bolívia e Equador e é uma planta de crescimento algo lento. Tal como a generalidade das Maxillaria, apresenta apenas uma flor por haste, podendo, numa só planta, produzir várias flores em simultâneo, com cores e formas muito peculiares e pouco comuns.
De cultivo relativamente fácil, não pode, contudo, sujeitar-se a temperaturas baixas. Aprecia ambientes temperados a quentes, com sombra e elevado grau de humidade.
 

quarta-feira, 2 de março de 2016

Dendrobium kingianum var. 'splash'

Esta é uma variedade muito original e atraente do Dendrobium kingianum. Esta espécie, proveniente dos habitats naturais da Austrália, é uma planta de médio porte, de muito fácil cultivo e que se adapta muito bem, mesmo nas regiões mais frias do nosso país. Pode ser cultivada em estufa fria ou mesmo no exterior, o ano todo.

 
 
 
 https://www.facebook.com/americo.pereira.39904