terça-feira, 30 de outubro de 2012

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Spiranthes spiralis

 
 
 
 
 

A Spiranthes spiralis é a única espécie das orquídeas silvestres que, em Portugal, floresce em pleno Outono. É uma planta de pequeno porte, de flores brancas, com um tom esverdeado no labelo e bem perfumadas.
Pode ser observada por quase toda a Europa, Médio Oriente e mesmo no norte de África, nos mais diversificados ambientes. Esta espécie tem também outra característica peculiar; a parte foliar da planta desenvolve-se apenas depois desta ter já a haste floral completa.
 
Obs. Fotos recolhidas nos concelhos de Condeixa, Ansião e Penela, em 23-10-2012.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Cattleya (híbrido)

 
Este híbrido de Cattleya está florido em pleno Outono, dando um forte colorido na estufa. É uma planta de pequeno porte, para o género, com flores levemente perfumadas.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Stanhopea oculata

 
 
Esta é a última espécie do género Stanhopea a florir na minha estufa, este ano de 2012. Apesar de ser uma espécie muito conhecida e relativamente comum em muitas colecções de orquidófilos, para mim, esta é uma das mais belas e aromáticas (aroma de baunilha). Acresce, ainda, a vantagem de ser uma das mais fáceis de cultivar e com florações mais regulares e abundantes.
Família: Orchidaceae
Género: Stanhopea
Espécie: oculata
Habitat natural: Espécie de médio porte,  manifestando-se de forma epífita nos troncos das árvores ou, por vezes, como planta terrestre, em penhascos rochosos, nas florestas húmidas do México e vários outros países da América Central  e do Sul, em altitudes entre os 1000 e os 3000 metros.
Cultivo: Cesto suspenso, com aberturas nas partes laterais e fundo, com substrato próprio para epífitas. Tolera temperaturas relativamente baixas e aprecia ambientes húmidos e com alguma sombra. O substrato nunca deve secar totalmente, regando abundantemente nas estações mais quentes e secas, sem nunca encharcar. Fertilizações regulares na fase de desenvolvimento da planta.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Miltonia regnellii

 
Na primeira floração desta Miltonia, apenas uma haste com duas flores. É uma espécie de médio porte, originária das montanhas húmidas, de baixa a média altitude, do Brasil.
Deve ser cultivada em ambientes temperados, com luz filtrada e  bom grau de humidade, em substrato para epífitas ou "montada" em suporte de cortiça. Na altura do desenvolvimento dos pseudobulbos necessita de regas abundantes, passando por um período de descanso no Inverno.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Gongora galeta 'luteola'

 
 
 
Esta é uma variedade da Gongora galeata com as flores totalmente amarelas e bem perfumadas. É uma planta de médio porte, com florações regulares e abundantes, de belo efeito.
Família: Orchidaceae
Género: Gongora
Espécie: galeata
Variedade: luteola
Habitat natural: É uma espécie epífita, do México, que se desenvolve em florestas de média altitude, húmidas e quentes
Cultivo: Devido às suas florações pendentes, como todas as espécies deste género, necessita de ser cultivada num pequeno vaso suspenso, em substrato próprio para epífitas. Aprecia ambientes temperados a temperados/quentes, com bom nível de humidade, regas e fertilizações regulares. No Inverno as regas e as fertilizações devem ser reduzidas ao mínimo, apenas para manter a planta hidratada, respeitando, mesmo, um curto período de repouso.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Maxillaria neglecta

 
 
Para já, a Maxillaria com flores mais pequenas da minha colecção. Apresenta pseudobulbos pequenos, ovalados e unifoliados, junto à base dos quais surgem hastes florais curtas, com várias flores dispostas de forma densa, não ultrapassando os 5 a 6 milímetros de dimensão. São muito delicadas, com a cor branca predominante e o labelo amarelo dourado.
É uma espécie originária das Honduras, Costa Rica,  Nicarágua e Panamá, de regiões de baixa a média altitude, não suportando temperaturas baixas no Inverno.
Neste momento, está cultivada em placa de cortiça, com regas e fertilizações regulares ao longo de todo o ano e com ligeira redução no Inverno.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Phalaenopsis hainanensis

 
 
 
Esta é mais uma, entre as poucas espécies do género Phalaenopsis que se conseguem adaptar a temperaturas mais baixas, no Inverno, que tenho florida neste início de Outono. É uma planta de pequeno porte, com flores de cerca de 3/4 cm, ideal para locais com pouco espaço.
Família: Orchidaceae
Género: Phalaenopsis
Espécie: hainanensis
Habitat natural: Espécie das florestas altas, cerca de 1900 metros, das províncias chinesas de Hainan e Yunnan.
Cultivo: Está montada numa placa de madeira, em suspensão. Necessita de regas e fertilizações constantes e um bom nível de humidade do ar.